rascunhe

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Vou ficar um mês sem postar :D

Feeliz Ano Novo ae pessoal *--*

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Parar para pensar, parar de agir por impulso, parar de acreditar tanto. Três coisas, três coisas que eu quero que aconteça nesse novo ano. Sendo com eu sou, não será tão fácil assim, mas eu vou tentar. Espero que apenas palavras não me atingem tanto como já me atingiram, espero observar e conhecer mais as pessoas para não tirar conclusões precipitadas, espero não ter que magoar ninguém e não me magoar por alguém. Espero não ter que fingir para alegrar alguém e perceber quando alguém está fingindo...
2010, esse ano promete! (;D)

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009


Ela está com as malas prontas. Mas não são simples malas onde se coloca roupas, acessórios e maquiagem. São vários tipos de malas. Algumas delas são cheias de medo, preocupação, indecisão, anciedade, tristeza, ódio. Outras, pelo contrário, repletas de alegria, de felicidade, liberdade, amor, sorrisos. As que estão quase transbordando são as de amigos, mas amigos de verdade, dos quais fazem você sair e rir quando está naqueles dias para baixo. Ao viajar, algumas malas "ruins" vão se perdendo a cada parada, algumas malas "boas" vão se desfazendo e se refazendo a cada situação da vida, mas, por incrível que pareça, as de amigos estão cada vez mais cheias, e necessitam de mais malas para caberem. Algumas dessas malas de amigos possuem alguns que não são bem amigos, são aqueles que não te querem bem ou fingem serem amigos, mas como está tão cheia a mala, nem dá para perceber. Apesar de cheias e de estarmos satisfeitos com isso, devemos tomar cuidado, sempre tirando um por um e "limpando" para não "mofar" ou para simplesmente jogar fora, para que as cresçam em harmonia as malas "boas" e as "ruins" não voltem, por mais que tentem ser persistentes para sempre estar presentes na vida. Malas de algumas pessoas nunca estão prontas, pois a confusão na hora de organizar acaba atrapalhando e nunca sendo feita, como por exemplo, a confusão entre anciedade e felicidade por acontecer alguma coisa, que, apesar de diferentes, há alguma semelhança. Ela vai fazer muitas viagens, mesmo trancada no quarto, as viagens nunca se acabam. E as malas? Estão sempre ali, prontas, esperando serem limpadas, acrescentando e retirando, mudando e renovando, jogadas fora e guardadas na memória.

Agora sim.

Sentia falta de sentar no banco da praça sem ter o que fazer, e do nada vir assuntos totalmente nada haver, e rir muito, com os velhos amigos. Desde quando entrei de férias, agora que começei a sair e conversar bastante com meus amigos, não são todos, mas acaba valendo muito a pena, o que eu precisava. Pena que já é fim de ano e vou viajar, mas espero não viajar Janeiro inteiro, para ter mais tempo com eles. Todos meus amigos estão maiores que eu, sendo que ano passado eu era praticamente do tamanho deles, fiquei mó frustada, porque nem com salto consegui ficar do mesmo tamanho, haha. E hoje essa chuva atrapalhou tudo, já que eu estava desanimada pra sair e eles me animaram, desci, e chuveu, mas deu para conversar e tudo mais, nunca ri tanto como eu ri hoje (Dinho, você é foda!), é, estou feliz agora.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Momento de pensar.

Quando paramos para relaxar e ficar sozinhos por instantes, num momento só nosso, ouvindo música, tentando não pensar em nada, podemos perceber que isso alivia a alma, a vida fica mais fácil de ser enfrentada, os olhos não ficam tão embaçados para enxergar o que há em nossa volta. Nem que isso dure apenas dez minutinhos do tempo, serve como um ótimo calmante e o stress vai embora, conseguimos pensar em nós mesmos, no que podemos fazer para melhorar o nosso mundo. Hoje, como é um dia calmo aqui em casa, resolvi fazer isso, e está me fazendo bem, com certeza vou repetir isso várias vezes, sentada em um muro, observando a linda paisagem, que com as nuvens ficou perfeita, o canto dos pássaros, a música de fundo do meu pc, um incenso e um bom e gelado matte. Esqueci de todos os meus problemas por uns instantes e outros foram embora com a brisa do vento. Pena que meu cachorro acabou de roubar meu chinelo, e vou ter que sair desse lindo momento para correr atrás dele. O dia que eu tiver a próxima experiência disso postarei de novo.

Um mundo ideal.




Olha eu vou lhe mostrar... Como é belo este mundo... Já que nunca deixaram o seu coração mandar. Eu lhe ensino a ver todo encanto e beleza que há na natureza num tapete a voar. Um mundo ideal, um privilégio ver daqui... Ninguém pra nos dizer o que fazer, até parece um sonho. Um mundo ideal, um mundo que eu nunca vi e agora eu posso ver e lhe dizer estou num mundo novo com você. Uma incrível visão nesse vôo tão lindo, vou planando e subindo para o imenso azul do céu, um mundo ideal, feito só pra você, nunca senti tanta emoção, pois então aproveite. Mas como é bom voar e viver no ar, eu nunca mais vou desejar voltar com tão lindas surpresas, com novos mundos pra seguir, tanta coisa empolgante. Aqui é bom viver só tem prazer com você não saio mais daqui. Um mundo ideal que alguém nos deu, feito pra nós. Somente nós, só seu e meu.


ps: em breve eu mesma escreverei (:
Era disso que eu precisava. Ler, desenhar, tomar banho de piscina. Realmente são coisas simples, mas que me relaxam e que me fazem bem, e eu nem percebia isso. Agora minha mente já está mais aberta, não estou mais com tanta dor de cabeça e agora sim vou aproveitar minhas férias. Faltam só 6 dias para realizar o meus sonho de viajar de avião (*----*), vou curtir muito isso! Sentirei saudades de todos, mas pelo menos quando voltar vou ter muita coisa para contar e escrever aqui, está tão abandonado, só posto letras de músicas e textos prontos, haha.


Que merda, meu desenho borrou na hora de fazer o olho ):




quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Hey There Delilah



Ei ai Delilah, como é Nova Iorque? Eu estou a mil milhas longe daí, mas menina esta noite você parece tão bonita, sim parece, time Square não consegue brilhar tanto quanto você, eu juro isto é verdade. Não se preocupe sobre à distância, eu estou aqui se você se sentir sozinha, ouça essa música mais uma vez, feche seus olhos, escute minha voz ela é o meu disfarce Eu estou ao seu lado. Eu sei que os tempos estao ficando dificeis, mas apenas acredite em mim menina, um dia eu estarei pagando as contas com esse violão, nós teremos iremos ter tudo, nós teremos a vida que sabíamos que teríamos, minha palavra é boa. Eu ainda tenho tanto pra falar, se à cada simples música que eu escrevi pra você pudesse tirar seu fôlego eu escreveria tudo, mais apaixonada por mim você ficaria. Nós teríamos tudo. Mil milhas parecem um pouco longe mas eles tem aviões trens e carros, eu ando até você se não tiver outra saída. Todos nossos amigos vão rir de nós mas nós vamos rir mais porque nós sabemos que nenhum deles nunca se sentiu assim. Delilah eu posso prometer a você que pelo tempo que nós passamos juntos o mundo nunca mais será o mesmo e você é a responsável. Seja boa e não sinta minha falta, mais dois anos e você terá terminado a escola e eu estarei fazendo história como eu faço. Você sabe que é só por causa de você, nós poderemos fazer o que quisermos, hey Delilah aqui está pra você, esta é pra você. Oh é o que você faz comigo.


ps: eu ainda não sei tocar essa música, mas um dia eu consigo! :D

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O amor não começa com "era uma vez" nem termina com "felizes para sempre". Ele começa com um sorriso; uma lágrima. ele começa com palavras doces, simpáticas e verdadeiras. Ele começa com um olhar, com uma conversa, começa como uma música, que faz todos entrarem dentro dela e envolve cada vez mais em suas armadilhas. Independente das pessoas, dos lugares, e dos tempos, sempre vai ser amor; o amor não é feito de palavrinhas idiotas; o amor é feito de grandes gestos; como aviões levandos faixas sobre estádios; propóstas em telões, ou palavras gigantes escritas no céu. O amor é ir mais além mesmo que doar, deixando tudo pra traz, é encontrar uma corajem dentro de si que nem se sabia que existia. Amor, era tudo que eu queria sentir vindo de você nesses 7meses. Só palavras não me atinge.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… 
 Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse pra baixo. No início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama…
Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de…
Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos. Abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é…
Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez.
Isso é…
Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
E tudo isso é…
Saber viver!!!

 Quando eu me amei de verdade descobri o verdadeiro significado da palavra: Felicidade!

Dez coisas para 2010.

Organizar em 10 coisas é meio complicado, porque são tantas³ coisas que eu ficaria o dia todo aqui escrevendo, mas vamos lá:

1. Um quarto novo, com meus móveis branco&preto com uma parede de cor bem viva! (quase conseguindo *-*)
2. Superar meu recorde desse ano de ler livros.
3. Tentar ser mais organizada (meio difícil, mas podemos tentar)
4. Virar a noite com a Wanessa tocando violão *-*
5. Fazer da parede de cor bem viva um mural.
6. Entrar pro teatro e ficar lá até acabar o ano, com o Ben como professor!
7. Conhecer e fazer amizade com quase todo o primeiro ano.
8. Emagrecer ao invés de engordar. (wow, difiiicil essa)
9. Mudar meu cabelo radicalmente (falta coragem, mas quem sabe)
10.Ter um espelho enoooorme dentro de um banheiro só meu! (vou ter vou ter aah *-*)

Ah, queria mudar para mais, mas como a "regra" é dez, vamos deixar assim mesmo...

e você, o que que fazer em 2010?

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Só por hoje.



Só por hoje eu não quero mais chorar, só por hoje eu espero conseguir aceitar o que passou, o que virá. Só por hoje vou me lembrar que sou feliz, hoje já sei que sou tudo que preciso ser, não preciso me desculpar e nem te convencer. O mundo é radical, não sei onde estou indo, só sei que não estou perdido. Aprendi a viver um dia de cada vez. Só por hoje eu não vou me machucar. Só por hoje eu não quero me esquecer que há algumas pouco vinte quatro horas, quase joguei a minha vida inteira fora. Não, não, não, não, viver é uma dádiva fatal! No fim das contas ninguém sai vivo daqui mas vamos com calma ! Só por hoje eu não quero mais chorar, só por hoje eu não vou me destruir. Posso até ficar triste se eu quiser. É só por hoje, ao menos isso eu aprendi
 Legião Urbana.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Estou aprendendo a viver sem você.

Estou aprendendo e não quero aprender.

Descontraindo!

Estou num tédio total e não quero ficar fazendo posts muito pessoais ultimamente, me madaram um e-mail (tinha que ser meu pai!) e vou usar com vocês. Bem, na brincadeira vem uma outra "promoção", mas aqui vou fazer diferente! Essa brincadeira, é onde vocês tem que me responder 6 questões impossíveis simples! Quem conseguir eu dou o meu notebook! EIHIUAISHUEHIAHUHSIEHUHA.

Aí vão as perguntas a respeito da foto:
1) quem está com sono,
2) quantas mulheres no grupo
3) quem acordou agora
4) quais são os dois gêmeos.
5) quem está com raiva
6) quem está alegre.


Vamos ver se vocês conseguem ;)


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Você teria coragem?



Norway e Canada possuem um novo esporte, um esporte, que, em minha opinião, é a PIOR das PIORES coisas do mundo!

Você está vendo? Isto é uma foca, linda, não? Você teria coragem de deixá-la assim?



ELES TÊM!



Você teria coragem de tirar a vida dos animais, por causa de um ESPORTE? Desde quando isso se chama Esporte? Desde quando isso se chama HUMANO? São só focas que, como outros animais, querem ser livres, querem viver a sua vida. Elas não fazem mal à ninguém e só querem viver em PAZ. Será que não percebem? Se fosse matar para comer... mas não, é um esporte RIDÍCULO!


A cada dia que passa eu vejo o quanto o ser humano é miserável, se fosse com você, ô idiotinha que pratica esse esporte, você não iria gostar, não é? Ou você iria adorar ser torturado e espancado até a morte? Impressionante como existem pessoas que ainda riem disso.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Brincadeira Musical.

Enfim, lá venho eu de novo olhando outros blogs, e vi uma outra brincadeira legal, onde colocamos músicas para cada momento da nossa vida, ou sei lá.

. Créditos de Abertura: Pais e Filhos - Legião Urbana
. Ao Acordar: Grow Up - Simple Plan
. Primeiro Dia de Aula: O dia que não terminou - Detonautas
. Infância: Photograph - Nickelback
. Ao Se Apaixonar: Temporário - Cath Side
. Música de Batalha: Stop and Stare - One Republic
. Fim de Namoro: Neuorose - Reação Em Cadeia
. Formatura: We are the Champions - Queen
. Vida: O Anjo Mais Velho - O Teatro Mágico
. Faculdade: Live Forever - Oasis
. Colegial: Leb Die Sekunde - Tokio Hotel
. Depressão: Cada poça dessa rua tem um pouco de minhas lágrimas - Fresno
. Na Estrada: Runaway - Avril Lavigne
. Flasback: Vou deixar - Skank
. Reatando Namoro: Let This Go - Paramore
. Casamento: Vou dizer - Gravizero
. Nascimento dos Filhos: Slow Fade - Casting Crowns
. Batalha Final: Open Your Eyes - Snow Patrol
. Cena de Morte: Forgotten - Linkin Park
. Música do Funeral: Helena - My Chemical Romance
. Créditos Finais: It's My Life - Bon Jovi

OBS: Olhando no outro blog, vi que as músicas são totalmente diferentes, os gostos então, nem se fala, isso é uma prova de que pessoas são completamente distintas umas das outras. Ah, queria tanto encaixar uma música do Brokencyde ali em cima, mas fica pra próxima :D
Está ficando tudo tão legal! O presente que eu estava bolando para a minha mãe, que não tinha dado muito certo (tem um post sobre isso), eu resolvi fazer ele sozinha, bem, sozinha não, porque a Mariana vai me ajudar nessa. Vamos tentar ocupar quase todas as páginas com coisas que nós vamos escrever e bolar, e espero que minha mãe goste da surpresa!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Por que está sendo tão doloroso assim? Se não fosse tão forte o que tem aqui dentro, se eu estivesse usando a minha razão, nada disso estaria acontecido, eu já teria dado um fim, mas por que eu não consigo?

Acredite.

O texto nao é meu, mas eu gostei :).

Há muitas razões para você ter medo de tentar, muitas razões para falhar, muitas razões para desistir, muitas razões para voltar à sua concha e esperar a vida se esgotar. Aos poucos. Jogando fora um dia de cada vez.
Sim. Há muitas razões para acreditar naquela voz, dentro da sua cabeça, que tenta anular você, corromper seu potencial e convencer você de que é um desperdício tentar dar o próximo passo. Essa voz diz: "Para que escrever a própria história?
Assista TV, e viva a história de outros, coma mais e não se exercite, para destruir sua principal máquina de mudar seu mundo; esqueça o amor, anule-se." Estas são as mensagens que tentam derrubar você.
Há muitas razões para desistir. Todas, absolutamente todas, falsas. Os limites estão em você, não em regras criadas por outros. Nossa sociedade é dominada pela absurda "lei das médias".
Se a maioria não consegue, tentam fazer com que você acredite que jamais conseguirá. Aleijadinho não acreditava na voz interior que dizia, com toda a lógica do mundo, que “aleijados não podem ser escultores”. Era lógico, mas era falso.
Santos Dumont não acreditou nos compatriotas que insistiam em dizer que o homem não poderia voar com um veículo mais pesado que o ar. Era lógico, mas era falso. O mundo é plano, diziam aos navegadores. Era lógico, mas era falso. Há muitas coisas nas quais você acredita, com lógica, mas que são absolutamente falsas.
É fácil inventar uma razão, um motivo aparentemente lógico, para qualquer coisa. Mas sua vida pode ser muito mais do que um amontoado de desculpas lógicas. Sua vida é muito mais do que qualquer razão para desistir de um sonho.
Sua vida é muito mais do que seu passado ruim, suas experiências de dor e seus medos ancestrais. Sua vida é tudo o que ainda virá. Não importam os limites do seu passado, eles não existem mais. Seu futuro pode ser tudo o que você desejar.
Escolha os companheiros de viagem... e vá. Por isso, toda vez que "escutar uma voz dentro de você dizendo `Você não é um pintor`, então pinte sem parar, de todos os modos possíveis, e aquela voz será silenciada.", como afirmou Van Gogh, um dos maiores pintores da história. Substitua a palavra "pintor" por engenheiro, jornalista, arquiteto, policial, mãe, professor, motorista, cantor, ator, escritor.... ou o que você desejar. E acredite nisso: sua mente e seu corpo são obrigados a seguirem as suas decisões, suas ações e suas crenças.

Silencie a voz que tenta derrubar você. Porque ela pode até ser lógica, mas é falsa. Não acredite nela!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Não pensei que seria pra sempre, se bem que não acredito nisso. Mas não sabia que tudo iria terminar assim tão, depressa, nas férias, onde eu estava tão feliz contando os dias pra você vir pra cá. Ainda não entendi a parada de você ainda estar confuso sobre isso, eu já desabafei, eu já disse o que sentia, e você aí, confuso, sem mexer nenhum pauzinho da questão. Pra mim isso não é amor, é terminar ou não, e não ficar confuso. Já disse SIM, e não tem como se arrepender, só disse o que sentia, e a culpa não foi minha, não, dessa vez não foi minha, e eu me sinto mal por isso, geralmente eu que sou a fria da questão, a insensível, a sem sentimento. E acabou que eu me entreguei, como eu nunca pensei que iria acontecer, como eu pensava que não tinha acontecido. Gabriel me faz ver tudo a mil maravilhas, que vai dar tudo certo, que a gente vai voltar porque você ainda gosta de mim. Wanessa olha com mais razão, estuda os dados, e diz que se eu demonstrei que ainda gosto de você e você disse que ainda gosta de mim, porque você ainda insistiria em pedir um tempo?. É, sempre que acontece isso eu fico dividida, e como er, quase todos sabem, eu fico dividida entre a Razão e o Coração. A minha Razão geralmente sempre fala mais alto, e eu já cometi tantos erros por isso, mas nunca cheguei a me arrepender. Mas agora, nesse exato momento, o Coração está falando mais alto, e isso está me encomodando muito, muito, pois isso nunca aconteceu. Está doendo, muito, eu sei que tenho que seguir minha Razão (lado de Wanessa), mas tem algo, alguma coisa que me prende ao lado do Coração (lado de Gabriel) e eu já não sei mais. Você pediu um tempo, tempo levam as pessoas a esquecerem, então, se você demorar muito com esse "tempo", quando pedir pra voltar vai ver como eu me tornarei fria com você, por mais que aqui dentro seja ao contrário. Se você terminou, porque está confuso e pensando tanto? Terminou, terminou, veio de você.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009


É, e estou passando novamente pela fase de não ter alguma inspiração para postar, acho que nessas férias isso é o que menos eu vou fazer. No começo era quase um vício, precisava entrar todos os dias, nem que fosse só para dar uma checada e ler postagens já escritas, ouvir música para ter inspiração era o máximo, e não vinha só uma, vinha várias e eu sempre escrevia, mesmo que fosse a coisa mais inútil. Agora, o que eu mais quero fazer é nada. Ficar deitada na cama vendo as horas se passarem, dar uma checada no orkut e deixar pessoas no vácuo no msn por pura preguiça de digitar. Até para sair estou me desanimando, não sei, mas acho que esse ano me cansou tanto que o que eu mais quero é ficar deitada, descansando, sozinha. A escala do trabalho da minha mãe mudou, e agora ela trabalha um dia de manhã, e outro a tarde e, nesses dias, quando ela trabalha de manhã, eu to dormindo quando ela chega, e quando ela trabalha a tarde, também estou dormindo a manhã inteira à tarde eu vou pra Volta Redonda, quando chego a noite, só quero saber de ir pro meu quarto ficar na internet ou lendo um livro. Daqui a vinte dias ela faz aniversário, e o presente que eu estava planejando pra ela foi por água abaixo, ele iria ser tão, perfeito, mas o tempo está muito curto e não vai dar tempo, já que perdi uma semana sem o caderno pensando que as pessoas de Resende iriam escrever, mas nada, ele estava ali intacto, bem no lugar que eu deixei, sendo que me prometeram escrever. E pra variar, daqui a 21 dias vou ficar praticamente um mês longe de casa, pois Janeiro é mês de viajar com a minha irmã e com o meu pai. Não estou tento muito tempo com ela, e isso está me encomodando, quando tenho, ela está estressada, não está em casa, não quer papo com ninguém ou está simplismente vendo novela (odeia ser atrapalhada). Esse ano foi realmente curto para mim, para ficar com meus amigos, para ficar com a minha família e, pior, ano que vem vai ser mais curto ainda. E mais uma vez, comecei em um assunto e terminei em outro.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Segredos. Muito deles não reveláveis e ao mesmo tempo prontos para saírem. Já não sabemos mais o que fazer, se contamos, ou não. Se contarmos, temos a possibilidade de acabar virando fofoca e até mesmo o arrependimento daquela pessoa ficar sabendo de algo tão secreto seu e após um tempo pararem de se falar. Se não contarmos, a angústia chega, a cabeça dói, o coração também, não confiar nas pessoas acaba tomando conta. Impossível alguém nunca ter passado por isso. Eu queria que tudo isso saísse da minha cabeça, como acontecem em filmes quando se tem uma penseira. Não sei porque, não sei quais segredos, mas tem algo entalado na minha garganta, querendo pra sair, e eu ainda não descobri o que é. É angustiante, é enlouquecedor, dá vontade de chorar, de gritar e, pode até parecer loucura ou coisa de emo, mas dá vontade de me arranhar, de me cortar, pra ver se isso tudo vai embora junto com a dor que eu vou sentir. Os sorrisos estão se tornando tão forçados, e isso me dá nojo. Dá nojo de me ver assim nesse estado, de pensar que eu estou sentindo isso, passando por mim, às vezes até é difícil de acreditar. Tomara que seja apenas uma fase, será que os outros adolescentes se sentem ou já se sentiram assim?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Queria poder dizer tudo que está entalado aqui, mas não dá, não posso, iria estragar tudo. É tudo tão delicado para simplismente ir lá e estragar tudo. Merda, merda! Você tem que vir logo pra cá! Não está dando mais aqui sem você, preciso te contar tanta, mas tanta coisa. E a gente de vez em nunca nos encontramos na internet, preferia que fosse ao vivo e a cores, mas, enquanto não dá, eu fico aqui esperando você entrar para poder te contar tudo ;x own meu consolinho, cade você? :((
Cada dia que passa é uma nova aventura, uma nova aprendizagem, um novo erro, uma nova certeza. Pensar sobre isso é um meio complicado, pois apesar de tudo, uma hora acabamos nos esquecendo e começam a vir novos dias. Querer reviver o momento é inevitável. Desfrutar alguma coisa é raro. Sonhar para sentir novamente a sensação é gostoso. Viver daquilo é um vício. Vícios levam a obcessão. Obcessão leva ao ato de agir sem pensar. O ato de agir sem pensar acaba acontecendo algo errado. E isso não é bom, é péssimo. Realmente ninguém quer isso. Não pense que vício e querer reviver o momento/sonhar com aquilo é a mesma coisa, pois não é, e muita gente confunde. O vício prolongado não te deixa passar novos dias nem ter novas aventuras, novas aprendizagens, novos erros. Apenas repense sobre o que você sente, para não se tornar uma obcessão, que isso não te levar a lugar algum. Deixe os dias passarem, mas não deixe de aproveitá-los. Não deixe de viver por um simples motivo. Não estrague sua vida. Isso está parecendo texto de auto-ajuda, eu hein.

sábado, 28 de novembro de 2009

Liberte-se na chuva!

Chuva. Molharam-me primeiramente as pernas, depois os braços, as mãos, o cabelo. Do que adiantava ficar debaixo de um guarda-chuva se estava me molhando. Resolvi sair. Gotas de chuva invadiram meu rosto, uma sensação tranqüilizadora, um sentimento de alma lavada, um conforto de um abraço gelado. Não sei por que, mas aquela chuva me fez bem, me fez sentir livre, confiável, forte. Começaram as brincadeiras. Pular em poças d’água, jogar água pra tudo quanto é canto, correr, cantar, rodar. Sentir as gotas da chuva percorrendo meu corpo, me fez sorrir, parecia tudo tão... perfeito, em tão pouco tempo, segundos para ser exata. Abraçá-lo me pareceu que a chuva estava nos aproximando mais, como se fosse um laço nos enroscando, e o beijo... ah, o beijo... não preciso nem dizer. A chuva realmente me fez ver a simplicidade do mundo, não sei como, numa cidade tão agitada, tão cheia de gente, e eu vi além daquilo, além do que eu nunca vi, e não sei se vou rever novamente. Foi bom, muito bom, preciso fazer isso mais vezes. Se eu soubesse que seria tão divertido, teria cedido todas as vezes que me convidaram. Pena que provavelmente não farei isso de novo esse ano com aquelas duas figuras (Wanessa e Vítor, own *-*), já que minhas aulas já acabaram, e só falta o curso para voltar pra casa, e quase não revê-los até as aulas voltarem. Ah, sem noção a falta que vocês dois vão me fazer, vai apertar muito, muito. Espero tomar mais banhos de chuva, com vocês... mas seria tão mais divertidos se TODOS estivessem presentes também. Quem sabe, um dia...

sexta-feira, 27 de novembro de 2009


Eu sou um pouco de solidão, um pouco de desconsideração, um punhado de reclamações, mas é inevitável. Eu sou o que eu quero que você queira, o que eu quero que você sinta. Eu sou um pouco de insegurança, um tanto quanto inconfidente. Porque você não entende, eu faço o que posso. Mas às vezes eu não faz sentido, é como se não importasse o que eu faço, eu não consigo te convencer de que isto é para valer. Eu sou o que você nunca quer dizer, mas eu nunca tive dúvida alguma. É como se não importasse o que eu faço, eu não posso lhe convencer por uma vez só a simplesmente me ouvir. Então eu simplesmente deixo acontecer, te observando. Dê as costas como você sempre faz, abaixe o rosto e finja que eu não estou, mas eu estarei lá, ou talvez não.


Há um lugar tão escuro que você não pode ver o fim. Céus levantam atrás e choca o que não pode se defender. A chuva então envia perguntas ácidas gotejando vigorosamente, o poder de sugestão. Então com os olhos olhando firmemente fechado, olho o pensamento só o pó ferruginoso e podre. Uma mancha de inundações claras no chão, e se derrama em cima no mundo enferrujado de falsos. Os olhos ficam aliviados quando abertos e fica escuro novamente. De cima para baixo, de baixo pra cima eu paro, no coração eu esqueci, no meio de meus pensamentos, levado longe de minha segurança. O quadro está lá, a memória não me escapará, porque eu ligaria. Na memória você me achará, com os olhos queimando. A escuridão que me segura firmemente até que o sol apareça. Um pequeno pedaço de papel com um desenho pintado flutua pela rua até o vento parar. A memória agora é como o quadro era antes. Quando o papel está amassado não pode ser perfeito de novo.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Deixe a música rolar


Quando você se sente isolado e sozinho, qual seria a melhor medida a ser seguida? Eu prefiro ouvir músicas. Elas não me deixam sozinha, nunca deixaram. De algum jeito, de alguma forma, elas sempre me acompanham em qualquer momento da minha vida, sejma os mais alegres, sejam os mais tristes, sejam os dias que quero ter inspiração, elas não me abandonam. Nunca saem da minha cabeça, estou sempre pensando nelas, em suas letras, em o quê posso tirar daquilo e levar para a vida. É impressionante como sempre há aquela música para cada momento, quando queremos uma mais calma, uma mais agitada, uma que lembre alguém, ou uma que lembre de algum dia vivido. A música está em toda parte e em qualquer lugar, até nos dias mais silenciosos. Até quando você não quer ouvir nenhuma música. Há os sons. Os sons da fala, do vento, dos pássaros, dos passos... e juntando todos eles, ualá, uma música! Quem nunca chorou, sorriu ou até mesmo riu ao ouvir uma certa música? Ela nos estimula, nos estimula a pensar, no jeito de vestir, no jeito de ser, no jeito de ver o mundo. Para escrever, prefiro músicas meio lentas, com sussuros, alguns gritos, que me faz viajar, no meu caso, adoro escrever ouvindo músicas do tipo 30 Seconds To Mars, Linkin Park, Audioslave, Snow Patrol, Brokencyde... mas há quem prefira outras bandas, mas sempre, sempre são músicas, são as vozes, os intrumentos. Músicas, músicas, meu vício, minha companhia, meu jeito de ser, de pensar. Ouvir música melhora o meu dia, não ligo pra modinhas, prefiro seguir meu gosto músical, que é estranho, dependendo do dia meu estilo musical muda, sempre muda, mas não vivo sem ela... E você? Qual é a sua música?

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fique de olho.


Hoje me olhei no espelho e deparei com olhos cansados e vermelhos. Vesti-me como de costume e fui para a escola. Nisso começaram as conversas com meus amigos e meus olhos já começaram a ter um brilho e não estavam tão cansados, enquanto milhares de pensamentos invadiam a minha cabeça, sendo que não me concentrei muito neles nem dei muito valor. E, agora que estava estudando, um daqueles pensamentos começou a me perseguir e resolvi postar enquanto ele estava meio claro em minha mente.

Enfim, como as pessoas conseguem ter duas caras e ainda conseguem fingir que não as possuem? Às vezes quando você conhece realmente a pessoa, acaba percebendo que ela não possui duas caras, mas várias! E o que me aflige mais é saber que quando ela se dá conta que conseguiu o que queria, amassa como se fosse um papel, mas quando percebe que aquele papel se desamassou e conseguiu uma vida independente, ela começa sua busca novamente pelo mesmo papel, mas para amassá-lo cada vez mais.

Será que esse desumano não vê que “o feitiço sempre volta contra o feiticeiro”? Não, acho que não, porque me parece que isso já se tornou uma fome, de chegar de mansinho, como não quer nada, conquistando, falando coisas bonitas e engraçadas, para quando ter “fisgado” a presa começar a não dar valor, a desprezar, a criticar todas as ações com crises de ciúmes e querer controlar tudo que rodeia a pessoa, e ainda por cima exigir respeito e amor verdadeiro, principalmente se for como “algo mais”, mesmo não merecendo ou não tendo capacidade de oferecer.

Pior é saber que muitos indivíduos conseguem cair sem perceber e, quando tentam sair disso, não conseguem sair por causa da pressão. Espero que todos consigam enxergar esse tipo de gentinha que não vale nada, para não ser iludidos e serem apenas mais um na lista. Análise e enxergue sempre com outros olhos como as pessoas te tratam, pois você já pode estar sendo “controlado” por um deles.


[...] Eu adorava ver a desilusão naqueles rostos quando os filhos deles gritavam porque não queriam cumprimentá-los, pais de quem tinham medo. E suas companheiras fremiam para poder ir embora assim que possível. Nós somos os asfastados do mundo. Somos mercadoria avariada que não se quer e não se pode trocar. Carne podre que ninguém mais quer experimentar. [...] [...] Eu sou o predestinado. Ele me disse mil vezes. E vou lhe demonstrar que sei fazer de verdade. Ah, ah, estou vendo, merdinha de Meg. Posso intuir do seu sorriso arrogante: pronto, é um psicopata, diagnóstico correto, deve estar pensando. ERRO! Sou lúcido, lucidíssimo. Mas tenho tarefa a completar. Se você fosse menos arrogante, compreenderia. Claro, agora preciso me esconder. Mas vai chegar o momento. Estudei muito, sabe, Meg? E você, você estuda, Megan? Daquilo que vi, você me desiludiu um pouco. Tantos lugares-comuns, tantas preconcebidas: este é um psicopata, um paranoico, aquele que viveu a falta de carinho materno e blá-blá-BLAAHHHH. Megan, ora, você poderia fazer mais do que isso. Procure ser menos banal. E descobrir arte além do abismo. A vida é esta. É a busca da perfeição.

(Maia Fox: A Predestinada. Brena, S. Straffi, I)

domingo, 22 de novembro de 2009

Que merda! Não estou conseguindo por imagem naquele título idiota D:
Cuidado Olhinhos com o que vê, é o segundo olhar que prende suas mãos conforme as trevas colocam as amarras. Cuidado Pezinhos aonde pisam, são os pezinhos atrás de você que com certeza te seguirão. É um lento desaparecer quando você se entrega, um lento desaparecer quando o preto e o branco viram cinza. Pensamentos invadem, e escolhas são feitas, um preço será pago quando você se entregar, as pessoas nunca desabam de uma vez. Cuidado Orelhinhas o que ouvem quando a falsidade nos leva a um compromisso, o fim está sempre próximo. Cuidado Boquinha o que fala pois palavras e promessas vazias levam a corações despedaçados a se desviar. O caminho da sua mente até suas mãos, é mais curta do que você imagina. Cuidado se você pensa que está de pé, você já pode estar afundando. Cuidado Olhinhos o que vêem, pois o Papai do Céu está olhando para baixo com amor.

sábado, 21 de novembro de 2009

Não liguem se isso aqui estiver uma merda, to editando meu blog, e eu to sem tempo e t indo aos poucos AHUUHAUHAUA

quinta-feira, 19 de novembro de 2009



Era uma vez uma menina. E essa menina tinha sonhos, sonhos grandes, sonhos praticamente impossíveis. Ela sonhava em morar fora, apesar de ainda ser menor de idade, queria viver em outra cidade, sem os pais por perto, para poder aprender ser independente desde pequena. Sonhava em estudar fora também, em uma escola cara, mas não sabia se seus pais poderiam pagar essa escola, mas ela iria fazer de tudo, de estudar até a hora que for, só para conseguir estudar naquela escola. Sonhava em usar lentes de contato, pois sua vida inteira até ali só usava óculos, e tinha horas que atrapalhava bastante, como sair e não poder colocar uma maquiagem bonita sem ser escondida ou fazer educação física, que sempre tinha que tirar os óculos para não quebrar. Sonhava em ter um notebook, de preferência com internet para carregar ele para todo lugar e ter um computador só seu, sem ninguém para ficar colocando regras. Sonhava em conhecer pessoas novas, uma meta de mais de 100 amigos em menos de um ano, já que não existe coisa melhor do que ter amigos sempre por perto. Sonhava em quebrar sua meta em ler livros. Sonhava em poder sorrir todos os dias se tivesse pelo menos um dos seus desejos realizados...
Mas, uma coisa estranha aconteceu. Ela dormiu, e dormiu. E, quando acordou, estava em um quarto que não era o seu de costume. Saiu, e viu que aquela cidade não era a sua. Olhou para o que estava vestido, e estava com o uniforme da escola que sempre sonhou em estudar. Correu de volta para o quarto e, seu notebook com a internet estava ali, chegavam até brilhar, e ainda ganhou uma companheira de quarto maravilhosa. Foi para a escola, e mais de 100 pessoas paravam para conversar com ela, abraçavam-na. Numa sexta-feira voltou para casa, e quando olhou para sua prateleira havia 23 livros, todos lidos, chegavam até estarem amassados de tanto serem lidos...
Ela não estava acreditando que aquilo tudo havia se realizado, em menos de 1 ano. Podia jurar que estava sonhando, e sorriu, e chorou, e ajoelhou agradecendo aos céus por aquilo... Aquela menina? Ah, aquela menina sou eu, e essa é a minha história. Sei que já escrevi inúmeras vezes sobre isso neste blog, mas eu ainda não acredito que tudo isso aqui é real, às vezes ainda dá pra perceber que isso é apenas um sonho, um sonho eterno. Um sonho realizado.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Se eu fosse você eu correria mais riscos. Eu viveria cada segundo da vida. Eu amaria todos mesmo sabendo que nem todos vão retribuir esse amor. Eu riria de qualquer coisa boba. Eu abraçaria todos os dias os amigos. Eu diria tudo que viesse à cabeça. Eu sonharia mais. Eu pisaria no desconhecido. Eu gritaria bem alto. Eu ouviria música todos os dias. Eu acordaria sorrindo. Eu faria dos erros, corretos. Eu cantaria letras de músicas completamente errados. Eu faria alguém rir ou sorrir de alguma coisa que eu falaria. Eu acordaria alguém com cosquinhas, ou pulando em cima da cama. Eu me olharia no espelho e me acharia bonita. Eu olharia para trás e veria que tudo aquilo já passou. Eu olharia pra frente e caminharia de cabeça erguida. Eu não teria medo. Eu me apaixonaria por alguém. Eu faria tantos amigos que quando eu estivesse quieta eles viriam falar comigo pra saber o que aconteceu. Eu olharia a minha volta e refletiria no que eu poderia fazer para ser melhor... Se eu fosse você eu faria tudo isso... Ainda bem que eu não sou, e faço tudo isso.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

E amanheça mais forte...

De ontem em diante serei o que sou no instante agora Onde ontem, hoje e amanhã são a mesma coisa Sem a idéia ilusória de que o dia, a noite e a madrugada são coisas distintas Separadas pelo canto de um galo velho Eu apóstolo contigo que não sabes do evangelho Do versículo e da profecia Quem surgiu primeiro? o antes, o outrora, a noite ou o dia? Minha vida inteira é meu dia inteiro Meus dilúvios imaginários ainda faço no chuveiro! Minha mochila de lanches? É minha marmita requentada em banho Maria! Minha mamadeira de leite em pó É cerveja gelada na padaria Meu banho no tanque? É lavar carro com mangueira E se antes, um pedaço de maçã
Hoje quero a fruta inteira E da fruta tiro a polpa... da puta tiro a roupa Da luta não me retiro
Me atiro do alto e que me atirem no peito Da luta não me retiro... Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras que fizemos ontem...

(De Ontem Em Diante - O Teatro Mágico)


segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Às vezes um gesto, ou até mesmo um sorriso, falam muito mais do que palavras.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

É. Ultimamente não tenho postado aqui. Falta de inspiração, de tempo para pensar. Escola agitada também está ajudando nisso. Mas faltam só 20 dias, só mais 20 dias, aí sim eu vou conseguir descançar um pouco. 1bj

quinta-feira, 5 de novembro de 2009


"Seria possivel que um cachorro pudesse mostrar aos seres humanos o que realmente importava na vida? Eu acreditava que sim. Lealdade. Coragem. Devoção. Simplicidade. Alegria. E também as coisas que não tinham importância. Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas de grife. Símbolos de status não significam nada para ele. Um pedaço de madeira encontrado na praia serve. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Um cão não se importa se você é rico ou pobre, educado ou analfabeto, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. Marley me ensinou a viver cada dia com alegria e exuberância desenfreadas, aproveitar cada momento e seguir o que diz o coração. Ele me ensinou a apreciar coisas simples e enquanto envelhecia e adoecia, ensinou-me a manter o otimismo diante da adversidade. Principalmente, ele me ensinou sobre a amizade e o altruísmo e, acima de tudo, sobre lealdade incondicional. tivemos de enfrentar essa decisão cinco meses antes , e já havíamos feito a escolha mais difícil. [..] ele estava inconsciente sobre uma mana no chão, tomando soro pela pata. Ajoelhei-me e passei os dedos por seu pêlo, do jeito que ele gostava. [..] queria que ele soubesse de algumas coisas. -Sabe todas aquelas coisas que sempre falamos sobre voce? - sussurrei - que você era um saco? não acredite nisso. não acredite nem por um minuto, Marley. Ele precisava saber disso e algo mais também. Havia algo que eu nunca lhe dissera, que nunca ninguém lhe disse. queria que ele ouvisse antes de morrer: - Marley - eu disse -, você é um grande cachorro. "
(Marley e Eu, John Grogan)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

... porque são motivos como VOCÊS que me fazem continuar aqui, que me fazem seguir meu caminho atrás de meus sonhos e objetivos, porque VOCÊS me aturam todos os dias, e mesmo nos meus momentos mais tristes me colocam um sorriso no rosto...
Vítor, Kaique, Wanessa, Maria Antônia, Erik, Letícia, Ana Flávia, Mariana, Lucas, Pedro, Diogo, Pablo, Joselaine, Naemi, Raphaella, Tamara, Vinícius, Brendon, Gustavo, Matheus, Ivan, Willian's, Ananda, Rafael, Charles, e muitos&muitos outros.

domingo, 1 de novembro de 2009

Que merda! Está tudo errado, tudo errado! Por que a vida não tem um botãozinho de voltar? Eu poderia ter feito outras escolhas, mas não, agora ja é tarde, vou ter que encarar, e tentar enfrentar tudo de cabeça erguida, por que toda escolha que eu faço não me faz feliz? Aonde foi que eu errei? Merda, aquilo não devia ter acontecido, mas deixa, vou parar de me queixar nesse blog para não ter certos tipos de interpretações, das quais ninguém consegue entender meu ponto de vista e vem questionando certas coisas que eu não gosto. É, melhor voltar a guardar as coisas só pra mim.

sábado, 31 de outubro de 2009

Não está dando certo, parece que tudo que eu faço sempre dá na merda. Eu só queria poder fazer meus trabalhos e provas e ter a sensação de que fui bem, mas não, nunca me vem essa sensação, nem mesmo um pensamento. Eu só queria tirar boas notas e deixar meus pais orgulhosos mas, quanto mais eu me esforço, menos eu consigo, e menos eu consigo pensar. Eu não quero deixar essa escola e acabar com todos os meus sonhos e meus objetivos, mas tudo que acontece só me leva a esse pensamento, e isso é muito ruim, muito. Já me acostumei com a dor de cabeça diária que vem me atormentando e dificultando meus estudos. Pouca coisa já está parecendo muito para mim, imagina então como está sendo para mim tendo que fazer um teste num dia para depois sair para casa de uma amiga para fazer trabalho, voltar e ir direto para o curso de inglês, voltar pra casa e estudar pro teste do dia seguinte; no dia seguinte, mais um teste e, a tarde, fazer a merda de um trabalho (de novo) que eu consegui sujar, e aquilo é MUITO demorado, ir pro teatro (tenho que gravar minhas falas), voltar e estudar pro teste do dia seguinte; no ooutrodireto pro curso pra voltar para casa e preparar dois trabalhos pro dia seguinte; enfim, no ultimo dia é entrego os trabalhos e esperar a outra semana para ver os resultados disso e me preparar para mais outras dores de cabeça. Cara, está se tornando insuportável e difícil para mim, não sei se vou conseguir, não sei, só queria me sentir orgulhosa UM momento desde quando entrei nessa escola :/ é, eu necessitava desabafar.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Ser Louco É Ser Normal

Você já ouviu essa frase um dia? Enfim, eu sempre escuto e leio em um monte de lugares essa maldita frase, e, num momento sem nada pra fazer, pensei: Se ser louco é ser normal, o que não é normal? Tenso.

domingo, 18 de outubro de 2009

Ontem, 17 de Outubro de 2009, como muitos já sabem, foi o dia da Prova de Seleção da ETPC. Há um ano atrás, eu me lembro como se fosse ontem, eu fiz essa tão esperada prova, no dia anterior eu tinha ficado até a meia-noite estudando, anciosíssima (nem sei se escreve assim), e, no dia, me bateu uma tranquilidade que nem sei explicar, nem pensei em dar uma última olhada na matéria, porque se não eu iria ficar nervosa e não daria pra fazer a prova. A minha sorte é que a maioria dos meus amigos daqui de Bananal fizeram a prova na mesma sala que eu, e eu fiquei ainda mais tranquila, torcendo mais por eles do que por mim mesma. Enfim, eu desejo tudo de bom para todos que fizeram a prova, e espero que nenhum passe por tudo que eu passei pra conseguir estudar lá. Sejam Bem-Vindos, novos ETPCistas !

quarta-feira, 14 de outubro de 2009


Eu queria que você soubesse que eu adoro o jeito que você sorri
Eu quero te abraçar bem forte e levar sua dor pra bem longe
Eu guardo sua foto, e eu sei que ela me ajuda bastante
Quero te abraçar bem forte e roubar sua dor
Porque eu fico em pedaços quando estou solitário
E eu não me sinto bem quando você vai embora
Você se foi pra longe, e não nos sente mais aqui
O pior já passou e nós podemos respirar de novo
Eu quero te abraçar bem forte, e mandar minha dor pra longe
Há muita coisa deixada de aprender, e ninguém contra quem lutar
Eu quero te abraçar bem forte e roubar sua dor
(Evanescence)

ps: na foto sou eu, minha mãe e minha vó :)
Infelizmente a sociedade no geral não está preparada para os conflitos e resultados que suas ações oferecem. Já não se está criando cidadãos, mas máquinas que aceitam tudo e seguem o que lhes é fornecido, sem questionar ou avaliar a situação. Apesar de cientes, cometem o mesmo erro inúmeras vezes, lamentam das consequencias, mas não sabem como encará-lo nem resolvê-lo, acabam deixando de lado e até mesmo desistindo de ao menos tentar concertá-lo. É preciso estimular os indivíduos a se prepararem para o futuro, para que não abaixem a cabeça em qualquer situação que não seja fácil, afinal, nas escolas tudo está virando "decoreba", e, o que era pra ser uma coisa "divertida" e interessante para levarmos a vida inteira, só é gravada para fazer a prova e pronto, já se esquece no dia seguinte. O mundo está cada vez mais difícil de enfrentar, as pessoas são medíocres e individualistas, se acham tão capazes que, ao se depararem com uma complicação, são meras porcarias, os professores não estão sendo valorizados o suficiente (existem exceções para isso, porque há professores que não respeitam os próprios alunos) e a sociedade está agindo do jeito que quer, sem pensar num futuro próximo, que, apesar de não estar distante, capaz de nem existir do jeito que está indo. Enfim, eu, como cidadã, como estudante, como uma era individualista e orgulhosa, não tento mudar o mundo nem mudar o mundo de outras pessoas, só estou tentando mudar o meu mundo e cuidar da minha vida, para ver se eu consigo crescer como uma pessoa competente e independente para enfrentar sozinha meus medos. E acho que outros poderiam fazer o mesmo, ao invés de tentar cuidar da vida de outras pessoas e de se lamentar que o Brasil está assim e "assado", e cuidar da própria indentidade e tentar concertar o que acha que está errado, tanto fora como dentro do seu mundo. Se cada um fizesse isso, vocês veriam que a Terra seria outra. ps: é, acho que daria uma boa redação *-* hauahauahua. e pensar que essa ideia me veio as 11:30 da noite...

domingo, 11 de outubro de 2009

Olhando para trás, nota-se o esforço que pessoas fazem para agradar os outros, extinguindo sua própria identidade, chegando a um certo ponto que, quando tentam ser elas mesmas, já não sabem mais aonde que foi jogado seu eu. Mentindo para si mesmas, elas continuam com suas vidas falsas, sempre tentando buscar como eram antes, mas, ao invés de resultados positivos, só ficam cada vez mais distantes de si. Na frente dos outros elas são alegres, divertidas, felizes; sozinhas, perdidas nos próprios pensamentos, tristes, tentando descobrir o motivo pelo qual as fizeram querer mudar para agradarem os outros, sendo que não conseguem agradar a si mesmas. E a vida delas é sempre assim, e elas vão levando, levando, chegando a um certo ponto que já nem sabem mais seu próprio nome nem o que é felicidade. Ao fechar os olhos para sempre, dormem com a culpa de nunca ter conhecido elas mesmas. E você? Vai continuar mudando e se esforçando para agradar indivíduos que, se bobiar, nem conhece? Se a resposta for não, e continuar buscando e buscando ser alguém que não é, vai me entender. Ainda bem que eu já estou conseguindo trazer de volta o meu eu, pena de quem não conseguir.

sábado, 10 de outubro de 2009


Tudo isto parece estranho e falso, e eu não quero passar um minuto sem você. Meus ossos doem, minha pele está fria, a raiva me corrói por dentro e eu não vou sentir esses pedaços e cortes. Levante, vá embora, saia de perto desses mentirosos, porque eles não entendem sua alma ou seu fogo. Pegue minha mão, entrelace seus dedos entre os meus e nós sairemos deste quarto escuro pela última vez. Cada minuto a partir deste agora podemos fazer o que gostamos em qualquer lugar.
(Snow Patrol)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Você alguma vez já se sentiu um lixo? Como que tudo o que você fizesse, mesmo sem as pessoas saberem, elas te olham censuradamente como se tivessem descoberto? Ou então sentimento de culpa após ter feito alguma coisa? Não sei porque, mas me parece que fiz alguma coisa errada da qual eu não poderia fazer, ou então estava insegura sobre fazer ou não, e acabei fazendo. Está difícil de colocar tudo em ordem na minha cabeça, analisar os fatos e tentar encaixá-los, mas quem sabe quando eu estiver com a cabeça fria eu consigo. É como se eu estivesse traindo alguém, mas quem? Um amigo? Meu namorado? Ou eu mesma? Às vezes penso coisas praticamente impossíveis de acontecer, aliás, sempre penso, e quando faço algo e acaba vindo esse tipo de pensamento me vem à tona o arrependimento, mas, por quê? Ontem acabei fazendo uma coisa (da qual não postarei) e, do nada me veio um pensamento, uma lembrança, uma visão, um dejavú, como se estivesse acontecendo naquele momento e travei, olhei pro lado e me veio o sentimento de culpa, de traição, de lixo. Pra falar a verdade estou doida pra ir correndo contar para um amigo, mas a mãe dele tirou a internet e esse é o único jeito da gente conversar, e sinto necessidade disso, de contar pra ele, porque eu sei que ele que vai me ajudar nisso, mais ninguém. É, eu acho que eu devia ter ficado em casa ontem, eu não estaria desse jeito hoje, e não sei até quando vai continuar. Bateu uma vontade de desistir de tudo que eu passei por aqui, mas fazer o que, eu acabo voltando, melhor nem me preocupar com isso.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

- Mãe, que coisa feia!
- Coisa feia nada, nunca arrotou na vida?
- Não desse jeito né
- Ué, mas você quer que eu arrote como? Fingindo que estou falando?
- Ah, esquece. Só não faz isso perto da Wanessa, pelo amor de Deus.
- Ih carai, Wanessa entra no nosso papo rapidinho!
- Hum.
- E aí, Fabrícia, quer que eu coloque aonde?
- Coloque o que, mãe?
- A meleca do meu nariz!
- Que horror, para com isso D:
- Vou colocar na sua boca se continuar reclamando!
- Iiih alá, vou enfiar esse saco na sua se você não parar com isso!
- Relaxa, o carro não é meu mesmo, vou colocar debaixo do banco
- Joga pela janela, né.
- Tá. Mas até parece que você nunca limpou o salão, ran.
- Não na frente dos outros, e muito menos falando né.
- Ah, me deixa. LLALALALALALALAAAAAAAAAAALALA
- Eeeeei, cala a boca!
*colocando o saco dentro da boca da minha mãe.

Porque os nossos momentos são fodas, até nas brigas acabamos rindo no final. Sou muito sortuda por ter tido uma mãe como você ♥. E ah, depois dizem que eu que sou maluca...

sábado, 26 de setembro de 2009

Quem é o seu deus?

Um delírio? Um fanático? Um tirano? Um velho de barbas brancas e camisola, chato e careta pra caramba, que só quer o seu dinheiro? Um "deus castiga"? Um deus que te dá as costas? Um deus distante, inalcancável, inatingível? Um não-deus? Um deus que não existe? Você é o seu deus? O dinheiro? As posses? As paixões deste mundo? A fama? Um ídolo? Uma estátua? Uma imagem? Uma convenção? Uma invenção? Uma jogada comercial? Alguém para quem você só apela quando está na pior ou por interesse? Algo que não se discute? Uma chatice? Uma bobagem? Um mandão? Alguém que não se importa com você? Alguém que te pôs no mundo para sofrer? Uma lenda? Um fantasma? Um vilão? Uma mentira? Alguém em quem você não pensa muito? Um ignorante? Um perdedor? Um pecador? Um ultrapassado? Uma perda de tempo? O "ópio do povo"? Coisa de desocupado? Coisa da sua cabeça? Alguém que ri da sua cara sentado em uma nuvem? Alguém que gosta de brincar de destruir? Um manipulador? Um morto? Um pobre-diabo?

Que pena. O meu Deus é maiúsculo, maravilhoso, incrível, está vivo, me ama e deu a vida por mim. E, ainda por cima, te ama e não desistirá de você, mesmo que você ache tudo isso dele.

Por: Luly


ps: sim, meus sentimentos estão sendo voltados novamente para isso.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Infelizmente fui péssima na prova de Geografia, é. Matéria chata pra caralho, onde só tem textos e mais textos entediantes, o que me faz dormir enquanto leio. Não sei pra que aprendemos geografia e história, geografia fala de localidades e países de merda, enquanto história fala do passado, agora, me resposta, pra que porra isso vai servir na minha vida? Estou cagando e andando se o comunismo existiu ou não existiu, se a merda do Egito era ou não politeísta, e muito menos se a China (Lá da putaqueparil) é um dragão. Ah, faça me o favor! Fugi do assunto, é. Enfim, ao invés de colocarem do jeito que está no livro, ficam cheio de nhenhenhé e colocam questões que eu nunca ouvi falar na vida, não tinha nada de mapa no livro, e o idiota me põe um mapa na prova, e sim, eu não sei ler mapas, foda-se q. Que bom que minhas metas ainda estão voltadas para um pouco mais de adrenalina: exatas. Um pouco de conta não faz mal pra ninguém, e é muito mais divertido, apesar das notas não serem muito divertidas há, quer dizer, em Física recuperei bem, consegui tirar mais de 8, ê; e em Química, aaaaaaah minha amada Química, gabaritei, muito idiota a prova, ê; Biologia e Matemática, vou saber ainda, prova amanhã, em um sábado, merda. Então, meu diárinho, haha, me deseje boa sorte nas provas seguintes. Ah, eu tinha que falar isso, a prova de Eletrônica foi a coisa mais ridícula que eu já vi na minha vida, burro de quem não tirar seis, há. (Pra quem não sabe, todas as provas valem Seis pontos). Tchau Blog, eu tenho que estudar!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Essas duas ultimas semanas estão me fazendo super bem e me deixaram muito agitada e anciosa, como se eu quisesse fazer tudo ao mesmo tempo. Semana passada fui péssima em um teste, mas dois minutos após eu já estava rindo com meus amigos das minhas respostas, consegui me encher de amora até ter dor de barriga, em uma companhia maravilhosa, que, se não fosse por ela, eu teria me cortado lá na cerca, o churrasco foi super engraçado, e eu não parava de rir quando olhava minha mãe brincando de gelinho dentro da piscina com o meu padrinho. O meu pique para estudar está em alta, e estou aproveitando cada segundo disso, já que minhas provas estão chegando e eu não quero ficar desesperada esse fim de semana estudando, já que vai ter a festa dos motociclistas e eu não quero perder, lógico, para ver meus queridos maninhos. Já não estou com raiva da escola, apesar de já ter me feito sofrer bastante, e o clima, tanto do tempo como com a relação com o povo da minha sala estão sendo ótimos e me ajudando bastante, tanto que quando me dei conta eu estava conversando sobre sexo em meia aula de física! Ilário. Hoje, mexendo na minha pasta, vi um envelope preto, e meu coração apertou, apertou de saudades, e resolvi fazer uma carta, sim, Gabriel, eu escrevi sua carta, mas só porque eu tava no pique e com vontade de escrever, haha. Aiai, estou me empolgando muito aqui, melhor eu ir estudar, se não eu me empolgo de vez e não saio mais do blog, eita vicio *-*. Enfim, agradeço a essa força maior que está me animando esses dias, e espero que continue assim o ano todo!

sábado, 12 de setembro de 2009

Eu quero, eu vou, eu posso, eu encaro, eu brigo, eu choro, eu amo, eu odeio, eu sou, eu aceito, eu divirto, eu ligo, eu sofro, eu ergo, eu consigo, eu desejo, eu gosto, eu finjo, eu estudo, eu tento, eu decido, eu termino, eu observo, eu falo, eu escuto, eu sinto, eu penso, eu corto, eu mato, eu erro, eu faço o que eu tenho vontade, não me importo como vão me julgar, o que pensarão de mim, se vão tentar me mudar, é só não ditar as regras, já que eu não jogarei o seu jogo.

Não é nada, juro.

Com trabalhos feitos em escola, notei vários assuntos que são, digamos, importantes ficarmos alertas, como síndrome do pânico e transtorno bipolar, que, pelo o que eu vi, não tem cura, só tratamento. Notei também, que possuo vários dos sistomas dessas doenças, mas nada que chegasse a ser preocupante, não para mim. Acho que não chega ser essas doenças, é apenas uma mera coincidência, tem que ser só uma coincidência.

terça-feira, 8 de setembro de 2009


Ela era apenas uma menina. Queria brincar, mas sua vida era difícil e o trabalho a pegou desde cedo. Queria se divertir, mas como seu pai era um bêbado, ficava cuidando dele em casa. Queria sorrir, mas as brigas de casa a deixava cada vez mais triste. Queria ser criança, mas as responsabilidades eram as de um adulto. Queria sair com as amigas, mas tinha que cuidar do seu irmão. Queria conversar, mas as crueldades do mundo a calavam. Queria ter um trabalho honesto, mas a única solução foi vender seu corpo. Queria brincar de panelinhas de mentirinha, mas “brincava” com as de verdade. Queria estudar, mas não tinha tempo. Queria ter um irmão que a chamasse de irmã, e não de mãe. Queria carinho do pai, mas ele nunca lhe deu atenção. Queria carinho da mãe, mas ela não estava mais ali. Queria amor, mas todos viravam o rosto para ela. Queria dinheiro para comprar suas coisas, mas seu pai a roubava. Queria ter mais oportunidades, mas o mundo fechava suas portas. Queria um motivo para ser feliz, mas era impossível. Queria sair daquele mundo. Queria ter o corpo puro de novo. Queria fugir. Queria, e pedia todos os dias, mas isso nunca aconteceu. Ela só queria ser apenas uma menina. Queria, mas o mundo fechou seus olhos.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Eu já estava curada, mas é só voltar pra casa, que tudo começa de novo, preciso sair logo daqui, preciso!

Merda de Edital.

Sonhos estraçalhados. Sei muito bem como você se sentiu, pois senti a mesma coisa, tive a mesma reação e, por incrível que pareça, pelo mesmo motivo. Mas eu sei que você não vai desistir, você merece coisa muito melhor do que estudar em Bananal, e eu sei que vai conseguir, pois eu estarei do seu lado te dando apoio, sempre. Estou vendo que você está se esforçando muito, dando duro nos estudos, e isso não será em vão, tudo que fazemos na vida tem seu resultado, e o seu será positivo, eu sei que vai, eu sinto isso. Mas como eu queria que você estudasse comigo, e eu ainda tenho esperanças de que isso ainda vai . Estou torcendo e sempre torcerei por você amiga, mas, não foi dessa vez, aquela escola filha da puta teve que me deixar mal mais uma vez, acho que ela me persegue, merda de edital que mudou.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Andando por aí, destraída, olhando cada detalhe, cada escolha que me fez chegar até aqui. Ontem, sonhava eu em estudar em um inferninho azul, em participar do conheça a escola, em morar sozinha, em ganhar um notebook, em conhecer pessoas de diferentes lugares e gostos, fazer um bom curso de inglês. Hoje, aqui estou eu, vivendo tudo aquilo que um dia foi apenas um sonho, apenas um simples desejo, tive apoio de todas as partes, principalmente dos meus pais, que chegaram e me falaram: "É isso mesmo o que você quer? Então pode ter certeza que eu vou fazer de tudo para isso acontecer, você se esforçou, você merece". São essas palavras que me fazem sorrir todos os dias, que fazem meus olhos se encherem de lágrimas de alegria, ainda mais quando penso que tudo está dando errado. Agradeço a todos que conseguiram realizar meus sonhos, e que ainda vão se realizar, pois percebo que a cada passo que eu dou, é um sonho realizado, é mais uma alegria que invade meu peito e me faz esquecer de toda tristeza que ainda insiste me atormentar. E pensar que tudo isso foi apenas um sonho...

domingo, 30 de agosto de 2009

Porque sem vocês a minha vida não faz sentido !

E ontem revi amigos que eu não via faz tempo, e eles me puseram um sorriso no rosto que eu não pude explicar, dancei e brinquei na companhia daqueles que sempre me senti segura, virei o copo, mas com a consciência de que eles estariam ali se eu precisasse de ajuda. Me senti (quase) completa, pois não tinham todos que eu queria ver ali, mas valeu a pena ter visto poucos deles. Juan, como você está grande meu amor, e cada dia mais lindo, haha! Mariana, danadinha você, hein! Luiz Guilherme, pare de pegar no meu rabo (HUEHASIUE)! Amanda, minha baixinha piriguete *-*' Guilherme, está se superando a cada dia hein, safado rere! Ully, a menina chapadona como sempre rs! Matheus, te encoxei legal *-* (EUHIAHSIEA)! Carol, aí não é o banheiro, lerda! Raíssa, vou te dar mais bebida pra dançar até o chão com você rs! Ramon, seduzindo geral lá! Suzane, conheci seu lado funckeira, danada! Dinho, cade as fotos? hahaha! Thomááás, rock and roll na veia! Bia e Anne, mandam muito no psy, fico babando! E muitos outros, se eu citar vou ficar o dia inteiro falando, mas mesmo não ter citado, podem ter certeza que vocês tem um lugar em especial aqui. Amo muito vocês ♥

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Falei tanto mal,

, e agora estou sendo alimentada pelo vício. Me sinto tão fraca, mas tão fraca que se eu tenho a estranha sensação de dormir e nunca mais acordar;

sábado, 22 de agosto de 2009

What?

Voltas as aulas, a todo vapor! Bimestre pequeno, mil e um trabalhos para entregar e apresentar no mesmo dia, reuniões, aula atrás de aula, correrria para entregar o trabalho a tempo, entrar de manhã na escola e sair só à noite, projetos para apresentar ao público, mais trabalhos, montagens, deveres, provas, testes, cansaço, diversão, professores chatos, dormir nas aulas, grupo de estudos, notas baixas, mais trabalhos, peças com um tempo curto, reclamações, namoro, brigas, desenhar na carteira... Enfim, mais um dia normal na ETPC!
Vi isso em um blog, decidi seguir também, só para não deixar isso daqui muito tempo sem postagens.

Um objeto: Notebook;
Um vício: Música;
Um chá: Melissa;
Um prazer: Chocolate;
Um móvel: Guarda-Roupa;
Uma ação: Ouvir;
Um número: 13);
Uma flor: Violeta;
Uma cor: Roxo;
Um planeta: Marte;
Uma fruta: Morango;
Um símbolo: Pentágono
Um mês: Fevereiro;
Um aroma: Alfazema;
Uma bebida: Coca Cola;
Um elemento: Fogo;
Um verbo: Tentar;
Um sentido: Visão;
Uma estação: Outono;
Um legume: Cenoura;
Um animal: Cachorro;
Um esporte: Domir; (haha, não sou fã de esportes)
Um sorvete: Baunilha;
Um hobbie: Ler;
Um tempero: Alho e Sal;
Uma marca: Diesel;
Uma palavra: Diversão;
Um sentimento: Felicidade;
Uma árvore: Amoreira;
Uma hora do dia: 19:30h;
Uma matéria: Química;
Uma direção: Norte;
Uma sensação: Conforto;
Uma parte do corpo: Olhos;
Uma pedra: Safira;
Um perfume: Quasar Fire;
Uma roupa: Calça Jeans;
Um estilo musical: Punk Rock;
Um dia da semana: Sábado;
Um instrumento musical: Bateria;
Um lugar: Alemanha;
Um livro: Fortaleza Digital;
Um prato: Strogonoff;
Uma música: Runaway - Avril;
Um clima: Sol sem muito calor;
Uma viagem: Com amigos;
Um calçado: All Star;
Uma pessoa: Minha Mãe.

sábado, 15 de agosto de 2009

Eu ainda me pergunto porque eu sou tão orgulhosa, e finjo ser uma pessoa completamente feliz, como se nada aqui dentro me fizesse mal. Mas hoje parei para pensar e refleti que é melhor eu transparecer uma pessoa forte e feliz, do que acabar sendo aquilo que há dentro de mim, e acabar confiando demais em uma pessoa, falando coisas sobre a minha vida com a qual ela não tem nada haver, mesmo me dizendo que sim. Eu ainda continuo aquela garota fechada, que só chora quando não há ninguém por perto, e que mesmo com amigos ajudando, não consegue dizer ao menos um Eu Te Amo para o próprio namorado, só forçando. Já cansei de tentar me abrir com as pessoas e elas nem ligarem para o que eu digo, quero dizer, até ligam, mas não o bastante para eu me sentir segura de que será um segredo. Apesar de me machucar muito não conseguir expressar meus sentimentos para alguém, por mais que eu ame essa pessoa, parece que eu fui feita para ser assim, e eu já não estou mais aguentando mudar isso, quanto mais eu tento, menos eu consigo. Dói, dói demais, chego a gritar por dentro tudo o que eu queria dizer, tudo o que eu queria expressar, enquanto de meus olhos só caírem lágrimas silenciosas e de minha boca, nada. Enfim,devo agradecer a duas pessoas, por me apoiarem, entenderem o meu lado e me ajudarem nisso, apesar de eu estar perdendo a fé de um dia conseguir. Obrigada Gabriel, mesmo me dando broncas por eu não te dizer eu te amo, por mais que você necessite ouvir isso, e sim, eu te amo, mesmo. E Obrigada Vítor, por me ter feito perceber o quanto eu preciso de você, mesmo sendo um "insensível" /mentira.

terça-feira, 11 de agosto de 2009