rascunhe

sábado, 31 de julho de 2010

Hey você,

Tudo bem? Como vai a vida? As pessoas em sua volta? Por que não consigo ver seu rosto? Deixe-me ver, você deve ser tão belo. Hey, o que é isso? Pra mim? Não, não posso aceitar. Claro que não, é muita coisa, eu não poderei retribuir. Puxa, assim você me deixa sem graça, está bem, eu aceito. Por que essa cara tão triste agora? Você quer... meu coração? Eu não sei, acho que não seria o certo. Hey, não faça isso de novo, eu não posso me precipitar. Arriscar? Tudo bem, aqui está meu coração. Vai cuidar dele direitinho? Jura pra mim? Epa, aonde você está indo? Volta aqui! Devolva-me o que eu te dei. Como não? Ele é meu, MEU. Hey, não fuja, não corra, por favor, devolva meu coração. Ele não te pertence, quer dizer, ah não. Por que eu fiz isso? Hey você, pare de correr, não vá antes de me devolver. Isso, agora me traz. Só metade? Não, preciso dele inteiro! Não quero sofrer, hey, volta aqui, hey, nããão, eu quero.. droga. E lá foi você embora com metade do meu coração, não consegui ver seu rosto, não consegui te conhecer direito, e acabei me entregando. Alguém... se alguém achar a metade do meu coração, por favor, devolva-me, e eu juro nunca mais dá-lo a ninguém.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Sem nada pra fazer,

E ainda exclui meu forms, já que ninguém me fazia mais perguntas e eu nem entrava mais (HAUAHAUAHA). Selecionei algumas coisas que perguntam no forms, que achei legal e vou colocar aqui. Ficou quase uma "brincadeira", enfim, falta do que fazer é o que há.

Perfume: Quasar Fire (apesar de ter saído de linha ;x)
Seriado: Não tenho preferido, eu curto praticamente todos que eu vejo. (q)
Desejo: Voltar a pensar mais com a razão do que com o coração.
Dia da semana: Sexta. (quando volto pra casa, ah, alegria imensa)
Sabor de halls: Aquele verdinho claro, acho que é maçã verde.
Sabor de trident: Menta.
Bebida: Hum, eu adoro batidas.
Cidade: Trindade.
País: Alemanha.
Cor: Vermelho.
Música: No momento, Buddha For Mary. (sempre estou mudando ;x)
Banda: Não tenho preferida, mas curto muito 30 Seconds To Mars.
Doce: Bis Branco (*-*).
Saudade: Da minha avó.
Beijo: Com amor.
Mania: Não sei explicar, eu fico fazendo um negócio no nariz por causa do óculos.
Sentimento: Amizade, sempre.
Palavrão: Falo muito "porra" e "caralho".
Time: Botafogo. (apesar de não ser de torcer, meu pai é roxasso e eu acabei tendo três blusas por causa disso, mas nem uso)
Comida: Arroz com catchup e strogonoff.
Pessoa: Minha mãe.
Estilo: Eclética (?)
Lugar da casa: Quarto e varanda.
Objeto: Meu relógio, apesar de ser ridículo, tem grande importância pra mim.
Frase: Não tenho apenas uma. Eu viajo nas frases da saga Harry Potter.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Seus olhos,

Apesar de tão indecifráveis parecem pedir socorro. Mas não parece uma ajudar qualquer, como se estivesse em apuros ou algo do tipo. Parece um grito, como se só eu pudesse tirar essa dor que te atormenta, como se eu fosse a única que pudesse te tirar desse lugar e te fazer feliz. Esses olhos, que parecem de criança, me chamam para um lugar desconhecido, do qual eu não sei a direção por causa do escuro. Eu não sei nem se você está mesmo pedindo a minha ajuda, alguma súplica, já que esses olhos são muito confusos. Mas é bom olhar em seus olhos, mesmo não podendo ajudar.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Eu não estou indo embora,

Mas quando coloco as malas naquele porta malas e escuto o roncar do motor, ao fechar aos olhos parece que estou indo embora para sempre. É ruim ter a sensação de que tudo que foi vivido está sendo deixado para trás. Eu me acho estranha, quando meus olhos se enchem de lágrimas em um domingo a tarde, quando arrumo as malas para ir a outra cidade e voltar para casa só final de semana. É como se, o que eu mais desejasse nesse mundo todo é que essa escola fosse na minha cidade, perto de mim, para eu não sentir mais esse aperto no peito que insiste em invadir todos os domingos. E quando chega na sexta-feira, ah, quão agradável é, parece que vou explodir de alegria, arrumo as malas tão rapidamente que sempre acabo esquecendo de alguma coisa. Voltar para casa, ver meu cachorro pulando de alegria, minha tia reclamando das roupas sujas, minha mãe na correria com o trabalho, minha irmã deitada na cama estudando. Voltar para essa cidade medíocre e chata que por mais eu fale mal eu gosto. Voltar para os amigos, aqueles dos quais me sinto tão bem, apesar do tédio de ficar sentados em um banco de praça sem dizer uma palavra. Apesar de tudo, queria que fosse aqui, que tivesse empregos bons, escolas boas, lugares legais para ir e não mundo afora. Faltam 5 dias, 5 dias para eu voltar para lá, e eu já estou sentindo meu coração apertado.

quinta-feira, 22 de julho de 2010


Por favor me perdoe, mas eu não retornarei para casa. Talvez algum dia você procure, e, pouco consciente, você dirá a ninguém: "Algo não está faltando?" Você não chorará por minha ausência, eu sei. Você me esqueceu há muito tempo. Eu sou tão sem importância? Eu sou tão insignificante? "Algo não está faltando?" Ninguém está sentindo a minha falta? Embora eu me sacrificasse, você não irá tentar comigo, não agora. Embora eu morresse para saber que você me ama, eu estou completamente só. Por favor me perdoe, mas eu não retornarei para casa. Eu sei o que você faz a você, eu respiro profundamente e clamo: "Algo não está faltando?" E se eu sangrar, eu sangrarei, sabendo que você não se importa. E se eu tiver que dormir apenas para sonhar com você, eu acordarei sem você lá.                        
                                                   Evanescence

ps: perdão, lívia :B

Ele tinha

Que matá-la, mas não podia. Amava-a com todas as suas forças, de todos os modos possíveis. Aquele mal que a consumia ia se espalhando cada vez mais pelo seu corpo, deixando-a cheia de marcas. Vê-la naquele estado só fazia aumentar a dor que o invadia e, segurando aquele revólver, com as mãos suadas, não sabia mais o que fazer. Ou acabava com tudo de uma vez, ou assistia a sua morte lentamente. Ela não estava preparada para aquele momento, fora a única que não treinou caso algum dia aquele mal resolvesse invadi-la, e foi o que aconteceu, de propósito, pois sabia que ele era o único do qual podia acabar com aquilo. Mas logo sua amada, que lutava para ser forte e, por mais que estivesse conseguindo, na certa não iria aguentar, cederia a morte. Atire, ela já ficou tempo demais dentro de mim. E foi o que fez. Puxou o gatilho. Um tiro lento, silencioso, os olhos dela se fechando, o último olhar, o último suspiro, estava tudo acabado. Um estrondo fez com que aquele mal sumisse da vida de tudo e de todos. Não podia suportar aquela dor, iria deitar ao seu lado, e se matar, para estar ao seu lado para sempre. Deitou-se ao lado dela e, quando a olhou, viu que estava respirando, uma gota de esperança tomou conta daquele lugar, mais uma respiração, mais um minuto de vida, ela podia sobreviver. Ele a abraçou. Ela era forte o bastante para aguentar aquilo, mesmo não estando preparada.

Fugindo,

Desse lugar, ela tenta encontrar um pouco de paz, mas as drogas sempre a faz voltar. Aquele pó que envolve suas narinas, que faz seu corpo se arrepiar e pedir sempre por mais, sempre a faz ficar. Aquele cigarro, que parece seu único amigo, que sempre está ali chorando suas angústias, que toca a sua boca suavemente, sempre a faz ficar. Aquela roupa, curta, grudada, mostrando a silhueta perfeita do seu corpo, todos os olhares somente para ela, sentindo-se assim desejada, o dinheiro sempre vindo fácil, a fazia ficar. Mas ela não queria mais aquilo, queria voltar a ter uma vida normal, mas sempre havia algo que a fazia ficar, que a fazia vibrar, e sempre desistia daquele querer. Até que alguém chamou seu nome, alguém do qual ela não podia ver, apenas ouvir e sentir. E aquela pessoa lhe trouxe a paz que queria, o amor que queria, a vida que queria. Ela sorriu, e foi correndo para os braços daquele homem, que a chamou, que lhe prometeu vida eterna ao seu lado, que lhe prometeu que ela iria se livrar de tudo que viveu. Mas ela parou no meio caminho, e ficou dividida, não sabia mais para onde ir. De um lado, o vício, o poder, a ganância, a luxúria. Do outro, o amor, a vida, a pureza, o sorriso. Passou a língua sobre os lábios e os mordeu. A sua vida já estava escrita, já sabia para onde iria quando morresse, e apesar de tudo, ela sempre ficava. Calçou sua lingerie, colocou um salto e um batom vermelho.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Saudades,

Do seu cheiro, do seu calor, das suas palavras, do seu sorriso, da sua garra, da sua força. Saudades do amor que sentia por mim, do seu abraço, dos seus olhos tão profundos. Saudades de você, saudades que sempre sentirei. Eu te amo, sempre te amarei.
           "Você era o brilho dos meus olhos ao te olhar, era o meu sorriso ao ganhar um beijo seu, você era meu corpo inteiro a se arrepiar, quando em teus braços eu me acolhi. Você era o meu segredo mais oculto, meu desejo mais profundo, meu querer. Minha fome de prazer, sem disfarçar, era a fonte de alegria. Era o meu sonhar. Você era a minha sombra, você era meu guia. Era o meu luar em plena luz do dia, era minha pele, proteção. Era meu calor. Você era meu cheiro a perfumar o nosso amor. Você é minha saudade reprimida. Foi meu sangrar ao ver sua partida. Era meu peito a apelar gritar de dor ao se ver ainda mais distante do seu amor. Era meu ego, minha alma. Era meu céu, o meu inferno, a minha calma. Você era meu tudo. Era meu nada. Sua pequena. Você era meu mundo, o meu poder, era minha vida, era você em meu eu. "



No dia 22 de maio de 2010,

Eu disse que um dia sairia um livro do papel. Desisti, não existirá mais livro.


ps: confesso que a única coisa que gosto no meu blog é esse bixinho azul *.* q

terça-feira, 20 de julho de 2010

Essa noite eu tive um sonho,

Não foi um sonho normal, foi real. Real demais. Eu podia sentir que você também teve esse sonho, e que ficou pensando nele quando acordou, assim como eu fiz. Sei que foi real tanto para mim quanto pra você, e eu queria que tivesse sido verdade. Sentir o seu cheiro, ver o seu sorriso somente para mim, escutar as batidas do seu coração, sentir o cheiro da sua boca enquanto falava comigo, olhares tão verdadeiros, arrepiar ao ver você tocando tão delicadamente minha mão. Conversamos por um longo tempo, rimos, ficamos brincando com as nossas mãos. Você estava tão diferente, tão bonito naquela tarde, seus olhos estavam brilhando, sua atenção era somente para mim, eu era quem você queria, você era quem eu queria, não havia ninguém para se intrometer. Até que você foi chegando mais perto, e por mais eu quisesse evitar não conseguia resistir seu corpo começando a se colar ao meu, numa sintonia perfeita. Sussurrou algo em meu ouvido, do qual eu não me lembro e me beijou. Um beijo inesperado, sentimental, harmonioso, delicioso, como se minha boca se encaixasse na sua, nossas mãos que estavam entrelaçadas foram deslizando por todas as partes de nosso corpo, saboreando aquele desejo que nos envolvia. E, por um instante eu queria ser sua, e você meu. Mas eu acordei, abraçada com meu travesseiro, sem você ao meu lado, sem seu cheiro para sentir, sem nenhum sentimento. Não chorei, eu não precisava, apenas fiquei enrolando na cama, pensando, relembrando, com os olhos fechados, abraçando meu travesseiro com mais força e cheirando-o, tentando sentir seu cheiro, sentir sua boca, mas nada vinha. Eu sabia que você também estava, naquele momento, pensando a mesma coisa que eu. Pessoas diferentes, mundos diferentes, pensamentos diferentes, nunca iria dar certo. Mas não quero esquecer daquele sonho.

sábado, 17 de julho de 2010

É como se,


-->Ela estivesse aqui, mas em outro lugar, muito distante. É como se todos olhassem em direção a ela, mas não a vissem. Ela imagina um outro mundo, e mesmo estando nesse, consegue estar lá. Sua face é sem expressão, com olhos cansados, andar desleixado, cabelo bagunçado, mas naquele mundo, está sorrindo, seus olhos brilham, e ela está linda. A sociedade não lhe impõe nada, nem como deve se vestir, nem quais músicas deve ouvir, ou qual modo de viver. As roupas, as músicas, os gostos, as ações, ninguém critica, ninguém possui um olhar “torto”, ninguém ri. O seu mundo, só seu, com pessoas boas, felizes, com ar limpo, amor verdadeiro, nada banalizado, ninguém passando por cima de ninguém. Ela é feliz, naquele mundo, naquela ilusão, naquela fantasia. Mas ela não pode viver naquele mundo, e ele parece cada vez mais distante de suas mãos, de sua mente. Ela está olhando em volta, e está vendo em que mundo está, sente-se triste, isolada, nada parece certo, nada parece bom, nada parece nada. Sente falta do seu mundinho infantil, com seus amiguinhos imaginários, que por sinal eram seus melhores amigos, sente falta das crianças brincando com brinquedos e não com a vida, com o corpo. Sente falta de quando uns respeitavam os outros, e não criticavam por gostar de tal banda, de tal roupa, de tal filme. Ela ainda continua distante, mas tem que lutar nesse mundo, já que não pode ficar fora da guerra, se não acaba pisoteada, deslocada, confusa, cada vez mais. Esse mundo é cruel, no qual temos que lutar contra o tempo, aceitar certas regras, ouvir certas coisas, ser elogiado e criticado, aprender a ganhar e a perder. Esse mundo, na qual ela não queria estar.

terça-feira, 13 de julho de 2010

1O/O7/2O1O

Eu tinha até me esquecido! Parabéns, cidade medíocre e entediante!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Essa é a vida,

É um teste. É um jogo. Você passou? Jogue de novo. Na esperança em que você se vê é onde você tem estado. É a fama. São as drogas. É o círculo social do qual você não faz parte. É o medo. São todos, mas não posso ser eu. Eu estou acabado com essa guerra. Eu vou cuspir na cara de todos esses vadios na esperança em que você se vê é onde você tem estado. Esse é o mundo em seus joelhos. Esse é o paraíso do qual todos parecem precisar. Essa é a luz. Esse é o foco que você não parece encontrar. A fama. O medo. O círculo social do qual você não pode se aproximar. As drogas. São todos, mas não pode ser você.

30 Seconds To Mars
Ela tinha um auto poder de conseguir bloquear seus pensamentos, e não pensar em nada por um bom e longo tempo. E ela resolveu tentar expandir o máximo possível essa tal "qualidade", acabando ficando presa aquilo. Aconteceu foi que ela já estava se sentindo angustiada por não ter o que pensar e desistiu dessa ideia maluca, mas não conseguiu, nada vinha à sua cabeça, nenhum pensamento, nenuma memória, nada. Hoje ela tenta pensar em algo, busca pensar em algo, mas só existe uma mente vazia, fria, sem emoções. O que antes era uma coisa boa, agora já não é mais. O que era prazeroso se tornou um vício forte. Nem a música a faz pensar mais sobre a vida, apesar de ser bom escutar. A única coisa que dá vontade é de deitar, e ficar ali, esperando alguma coisa. 

domingo, 11 de julho de 2010

Às vezes,

Parece que é a melhor solução. É tão ruim querer pensar, e não tem em que pensar, em QUEM pensar, no que pensar, não conseguir pensar. É tão ruim querer sentir, e não ter o que sentir, por quem sentir, não conseguir sentir. É tão estranho, estar feliz, mas com cara de triste, ou estar triste, com cara de feliz. É bizarro as pessoas te perguntarem o que está acontecendo, por qual motivo está com aquela expressão, por que está daquele jeito, e não ter o que dizer.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Não me julge,

Por não ser igual, carrego a verdade no olhar.
                                                                                                     Só Rezo - Nx zero                                         

Verdades incontestáveis

1ª Verdade:
Ninguém consegue tocar em todos os dentes da boca com a língua.




2ª Verdade:
Todos os idiotas, depois de lerem a 1ª verdade, tentam tocar com a língua em
todos os dentes que têm na boca...





3ª verdade:
Descobrem que a 1ª verdade é mentira.




4ª Verdade:
Começam a sorrir, porque concorda que é idiota

 



5ª Verdade:
Tá pensando que caiu direitinho.






6ª Verdade:
E continua com o sorriso de idiota na cara...




by: Orkut

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Uma conquista,

Foi tão emocionante! Está certo que a FIT já passou faz tempo, mas só agora que eu estava bisbilhotando minhas coisas e achei esse vídeo e resolvi postar! Dalê ELO3 com seu carrinho movido a fotocélula :D

ps: não sou filmadora profissional, vá D:

video

- Gente louca!

Até quando vocês continuarão nessa loucura?

Provérbios 1:22

terça-feira, 6 de julho de 2010

Saudades,

Daquele ano, daquele uniforme, daquele sonho.



 

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Tic Tac Tic Tac,

Faz o enlouquecedor relógio da parede. Tic Tac faz meus pensamentos. Tic Tac aos movimentos dos meus olhos. Tic Tac alguém nasce. Tic Tac alguém morre. Tic Tac e nenhuma resposta. Tic Tac, por nada.

All we are

Eu tentei desenhar um retrato seu  mas as cores estavam erradas, preto com branco não adequou você. E junto com todas você foi variando o tom com paciência e compassava tudo o que eu preciso apenas é fazer isso, e eu acredito que eu posso chorar por você sozinho, mas não romperá o que você é. Nós não diremos nossos adeuses você sabe esse é o melhor caminho, nós não desistiremos, nós não morreremos, esse é apenas um momento de mudança, nós somos tudo, nós somos tudo o que é certo. Tudo que nós precisamos, tudo que nós precisamos, nosso amor estar em ligamento. Eu andei um minuto em seu sapato, eles nunca caberiam, eu figurei que não há nada perder, eu preciso ter alguma perspectiva nessas palavras antes que eu lhe escreva, você é uma ilha e meu navio está na terra. Cada dia que eu posso respirar, você mudou minha filosofia, eu nunca deixarei você passar por mim,  então não diga seus adeus.